MalangatanaMalangatanaMalangatanaMalangatana
Malangatana
1936 - 2011 - Moçambique

Descrição

Malangatana (Valente Ngwenya) nasceu em Matalana, província de Maputo, em Moçambique, no dia 6 de junho de 1936, e morreu a 5 de janeiro de 2011, em Matosinhos, Portugal. Fez a escola primária em Matalana, vindo depois na cidade de Maputo a frequentar os primeiros anos da Escola Industrial. Antes de dedicar-se à arte como profissional, o que acontecerá em 1960 e com o apoio do arquiteto português Miranda Guedes, ao ceder-lhe a garagem para atelier e comprando-lhe dois quadros por mês, Malangatana foi: pastor de gado, aprendiz de nyamussoro (médico tradicional), criado de meninos, apanhador de bolas e criado no clube da elite colonial de Lourenço Marques. Foi preso pela polícia colonial porque acusado de ligações à FRELIMO, e libertado dois anos mais tarde sem provas. Após a independência de Moçambique, ocorrida a 25 de junho de 1975, Malangatana foi deputado pela FRELIMO entre 1990 e as primeiras eleições multipartidárias, mas não se candidatou.


Criou, com outras pessoas, o Movimento para a Paz, e pertenceu à Direção da Liga de Escuteiros de Moçambique: o que prova o grau do seu comprometimento cívico. Mas também foi um dos criadores do Museu Nacional de Arte de Moçambique, bem como acérrimo dinamizador do Núcleo de Arte de Maputo, o que atesta a sua entrega às artes de modo generoso. Colaborou com a UNICEF estreitamente, e ainda hoje tantos se lembram do projeto que manteve em Moçambique – “Vamos brincar”, uma escolinha dominical de bairro.


Escreveu poesia – o seu primeiro livro foi editado em Portugal em março de 1996, embora integrasse uma coletânea de poemas provenientes de 1960 e que ilustrou com desenhos da mesma época, e tem como título: Vinte e Quatro Poemas. Fez também parte de um grupo musical, onde cantou, dançou e tocou.


Acalentou um projeto cultural para a sua terra – Matalana que, além de ter impulsionado, retomou quando a guerra acabou, criando-se então a Associação do Centro Cultural de Matalana: além de ter feito parte do grupo fundador, assumiu a presidência da sua direção. Tal centro cultural desempenhou papel de relevo no desenvolvimento profissional, a que juntou o trabalho artístico, bem como uma coleção etno-antropológica e o denominador da ecologia.

Obras

sem título
sem título

1984, Maputo

óleo sobre papel 47,5 x 62cm

sem título
sem título

1967, Maputo

óleo sobre unitex 120,6 x 62,5 cm

Loading

Biografia

1936 - 2011 - Moçambique

Artista Plástico – Pintura, Desenho, Escultura e Muralismo



EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

  • 2010 – Onze Pinturas sobre Mármore (100x100cm), na atribuição do título de Doutor Honoris Causa pela Universidade de Évora, Portugal

  • 2009 – Instalação da Escultura “Paz e Amizade”, Mármore (altura: 10m), Barreiro, Portugal

  • 2007 – Início da Exposição Itinerante “Desenhos da Prisão”, Lisboa - Fundação Mário Soares, Portugal; continuação em Maputo - Fortaleza de Nª Sr.ª da Conceição, Moçambique e término na Casa de Cultura da Beira, Beira Moçambique

  • 2004 – Cantanhede, Portugal

  • 2000 – Amadora, Portugal

  • 2000 – Palmela, Portugal

  • 2000 – 25 Anos do 25 de Junho, Maputo, Moçambique

  • 1999 – Palmela, Lisboa, Portugal

  • 1999 – Maputo, Moçambique (baseada no álbum sobre si publicado pela editora portuguesa Caminho, com organização por Júlio Navarro, agora com a chancela da moçambicana Ndjira)

  • 1999 – Mural no Centro de Estudos Africanos, Maputo, Moçambique

  • 1998 – Concebe Painel Mural, Recife, Brasil

  • 1998 – Concebe Painel Mural (baseada no álbum sobre si publicado pela editora portuguesa Caminho, com organização por Júlio Navarro), Maputo, Moçambique

  • 1998 – Convidado do “Festival Mundial de Poesia de Medellín”, concebe Painel Mural, Colômbia

  • 1997 – Sintra, Portugal

  • 1997 – Concebe Painel Mural para a UNESCO

  • 1996 Pintura, Macau

  • 1995 Finaliza a escultura de grandes dimensões em ferro e cimento (que passa de 15 para 20 metros de altura) no Infulene, Moçambique

  • 1994 – Pintura, Santiago do Chile

  • 1994 – Pintura, Maputo, Moçambique

  • 1994 – Retoma a escultura de grandes dimensões em ferro e cimento no Infulene, Moçambique

  • 1993 – Desenho,Maputo, Moçambique

  • 1990 – Desenho, Lisboa, Portugal

  • 1989 – Conclui uma escultura de grandes dimensões em ferro e cimento no Infulene, Moçambique

  • 1985 – Pintura e Desenho, Portugal

  • 1973/1974 – Exposição Desenho, Portugal

  • 1972 – Duas Exposições, Lisboa, Portugal

  • 1972 – Desenho, Cerâmica e Gravura, Lourenço Marques – atual Maputo, Moçambique

  • 1962/1964 – Exposição de Desenho na ONU, Nova Iorque, EUA

  • 1961 – Lourenço Marques – atual Maputo, Moçambique

 

EXPOSIÇÕES COLECTIVAS

  • 2023 – 5ª Bienal Internacional Arte Gaia, Portugal

  • 2022 – Momentum Moçambique, Galeria Manoeuvre, Portugal

  • 2010 – Exposição Desenhos a Tinta-da-China: inéditos, com o Arquiteto José Forjaz, Casa da Cerca, Almada, Portugal

  • 2008 – Concebe com o Arquiteto José Forjaz Doze Painéis de Mármore esculpido em baixo-relevo (300x180cm), Fortaleza de Nª Sr.ª da Conceição, Maputo, Moçambique

  • 2006 – 70º Aniversário Malangatana, Matalana, Moçambique

  • 2001 – “Cidade do Século: Arte e Cultura na Metrópole do Século Vinte”, Tate Gallery, Londres, Inglaterra | Maputo, Moçambique | Madrid, Espanha | Washington, EUA | Exposição com Reinata Sadimba, Palmela, Portugal

  • 2000 – Maputo, Moçambique | Évora, Portugal | Munique, Alemanha | Palmas de Grã-Canária, Espanha

  • 1999 – Maputo, Moçambique

  • 1998 – Expo 98, Lisboa, Portugal: concebe uma escultura móvel e um painel mural para o Pavilhão de Moçambique | Exposição com Estêvão Mucavel, Reikyavik, Islândia | Maputo, Moçambique | Brasil | Lisboa, Portugal

  • 1997 –Maputo, Moçambique | Finlândia | Lisboa, Portugal | Moscovo, Rússia

  • 1996 – “Africa Explores”, Europa | Maputo, Moçambique | Lisboa, Portugal | Termoli, Itália | Finlândia | “Container 96”, Copenhaga, Dinamarca

  • 1995 – “Africa Explores”, Europa | Maputo, Moçambique

  • 1994 – “Africa Explores”, Europa | Maputo, Moçambique | Cidade do Cabo, África do Sul

  • 1993 – “Africa Explores”, EUA | Moçambique

  • 1992 – “Africa Explores”, EUA | Expo’92, Sevilha, Espanha: pinta a fachada do Pavilhão de África

  • 1991 – “Africa Explores”, EUA | Exposição com Ídasse, Portugal

  • 1990 – Moçambique

  • 1989 – Retrospetiva em Lisboa, Portugal

  • 1987/1989 – Retrospetiva na Bulgária e na Áustria | Moçambique | Grã-Bretanha | Noruega | Suécia

  • 1987 – Malangatana & Chissano, Ankara, Turquía

  • 1986 – Retrospetiva em Maputo, Moçambique e Alemanha | Segunda Bienal de la Habana ‘86, Havana, Cuba | Moçambique

  • 1985 – Moçambique | “Artistas do Mundo contra o Apartheid”, Europa

  • 1984 – Malangatana & Chissano, Indian Council for Cultural Relations, Nova Deli, Índia |“Artistas do Mundo contra o Apartheid”, Suécia, Finlândia e Dinamarca

  • 1975/1984 – Moçambique | Angola | Brasil (tapeçaria) | Bulgária | Cuba | França | Grã-Bretanha | Holanda | Itália | Nigéria | Portugal | RDA | Suécia | URSS | Zimbabué

  • 1973/1974 – Moçambique | Soweto, África do Sul | Washington, EUA

  • 1972 – Moçambique | Checoslováquia

  • 1966/1970 – Paris, França

  • 1962/1964 – Moçambique | África do Sul | Angola | França | Índia | Nigéria | Paquistão | Rodésia – atual Zimbabué

  • 1961 – Cidade do Cabo, África do Sul

  • 1959 – Três Exposições, Lourenço Marques – atual Maputo, Moçambique


PRÉMIOS e DISTINÇÕES

  • Membro honorário da “Academia de Artes da República Democrática Alemã – RDA”, Alemanha

  • 2010 – Condecorado “Comendador das Artes e das Letras” pelo Governo Francês, França

  • 2010 – Doutor Honoris Causa pela Universidade de Évora, Évora, Portugal

  • 1997 – Nomeado pela UNESCO “Artista pela Paz”

  • 1997 – Prémio “Príncipe Claus”, Holanda

  • 1995 – “Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique”, Portugal

  • 1990 – “Ordem do Cruzeiro do Sul”, Brasil

  • 1990 – Prémio da “Associação Internacional de Críticos de Arte”, Lisboa, Portugal

  • 1987 – Medalha “Cirilo e Methodis”, Bulgária

  • 1984 – Medalha “Nachingwea” pela contribuição à Cultura Moçambicana

  • 1970 – Diploma e Medalha de Mérito da “Academia Tomase Campanella de Artes e Ciências”, Itália

  • 1968 – Segundo Prémio ex aequo, na categoria Pintura “Comemorações do 24 de Julho”, Lourenço Marques – atual Maputo, Moçambique

  • 1966/1970 – Bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian: Cerâmica e Gravura, Lisboa, Portugal

  • 1962 – Primeiro Prémio, na categoria Pintura “Comemoração de Lourenço Marques”, Lourenço Marques – atual Maputo, Moçambique

  • 1959 – Menção Honrosa “I Concurso de Artes Plásticas”, Lourenço Marques – atual Maputo, Moçambique

Voltar ao início

Malangatana
sem título
sem título

1984, Maputo

óleo sobre papel 47,5 x 62cm

manoeuvre.pt desenvolvido por Bondhabits. Agência de marketing digital e desenvolvimento de websites e desenvolvimento de apps mobile