Kheto LualualiKheto LualualiKheto LualualiKheto Lualuali
Kheto Lualuali
1965 - Maputo, Moçambique

Descrição

Nasceu em Maputo no ano de 1965. E no princípio era o vermelho: cor com que Kheto Lualuali cobre as telas. Após: as suas paisagens e ações imergem num ambiente esfumado – ou aguado de tintura, ou com grão e espessura de tinta. Pintor da claridade embriagada de vermelho, para o exterior vem clara e elegantemente o branco e raramente há escuridão. Tal branco possui uma temperatura ideal, mantida pelos ares do Norte, provavelmente, até, da Holanda, onde viveu alguns anos. Curiosamente, nos anos que passou no Norte da Europa Kheto pintou vistas sanguíneas, iridescentes, abrasivas: como se tivesse dobrado o Mundo ao meio na zona do Equador, sobrepondo África à Holanda e fizesse uma síntese.


Recentemente, e em Matosinhos, pintou diferentemente, criando figuras “a arder” num (meio-)ambiente, ora azul-fantástico, ora verde-vibrante. Kheto Lualuali é um pintor extremo e essencial: o vermelho é a base, o branco é o gelo, a linha é o absoluto, a mancha é o inevitável. A figuração é um grande mistério que Kheto nos devolve. Em que medida? Naquela em que não existe identidade nas figuras que retrata, embora sejam sempre de ampla e firme presença: apresenta volumes, habitados e delimitados, mas sem nos permitir aceder à concreta elucidação da sua identidade.

Obras

Muva I
Muva I

2005, Maputo

acrílico sobre tela 105 x 149,5 cm

A pintura sempre foi uma celebração da própria visibilidade, do seu sentido e do seu enigma: é assim que vem aqui Kheto Lualuali apresentar-nos duas ocasiões em que bebeu o real e o transcreveu como um sintomatologista da cor, da linha e da mancha. “Muva I” é uma ode aos olhos e à mão que pinta.

Muva II
Muva II

2005, Maputo

acrílico sobre tela 105 x 149,5 cm

Remetendo-nos para ocasiões de costumes, “Muva II” é pretexto, sem dúvida, para embeber os olhos no real e devolver-nos uma tela que, tanto radiografa o visível, como o cartografa em pintura e transcreve. Kheto Lualuali é um atento observador das pessoas e das ações, sempre transfiguradas em mistério.

Muva I e II
Muva I e II
7 maio 2023
5ª Bienal Internacional Arte Gaia

2005, Maputo

acrílico sobre telas 105 x 149,5 cm

Loading

Biografia

1965 - Maputo, Moçambique
Artista Plástico – Pintura



EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

  • 2023 – As Atmosferas – A Colectiva dos Dois Irmãos Gémeos, Galeria Manoeuvre, Portugal

  • 1999 – Marruco Podja, Galeria Inquisição, Funchal, Madeira, Portugal

  • 1999 – Phanfumonca, Galeria Arturo Boal, Amadora, Portugal

  • 1998 – Azedi-Sonfom, Núcleo de Arte, Maputo, Moçambique

  • 1998 – In Galop, La Maison Africaine, Amesterdão, Holanda

  • 1998 – Galeria Y-Grego, Lisboa, Portugal

  • 1997 – Metamorfoses, Núcleo de Arte, Maputo, Moçambique

  • 1994 – Cadeira do Paraíso, Círculo Galeria de Arte, Maputo, Moçambique

 

WORKSHOPS

  • 2023 – Maratona Artística, 5ª Bienal Internacional Arte Gaia, Lever – Vila Nova de Gaia, Portugal

  • 2022 – Residência Artística Momentum Moçambique, Matosinhos, Portugal

  • 1998 – Workshop “Água”, Núcleo de Arte, Maputo, Moçambique | Workshop “Refleções sobre Bienal África do Sul”, Núcleo de Arte, Maputo, Moçambique

  • 1997 – Workshop Holandês-Moçambique, Centro Cultural Franco-Moçambicano, Maputo, Moçambique

  • 1996 – Workshop “Direitos Humanos”, Centro Cultural Franco-Moçambicano, Maputo, Moçambique

  • 1995 – Workshop Internacional Africano “Ujamaa IV/Gate Foundation”, Maputo, Moçambique | Workshop Dinamarquês-Moçambicano “Musicrea”, Maputo, Moçambique

 

EXPOSIÇÕES COLECTIVAS

  • 2023 – 5ª Bienal Internacional Arte Gaia, Portugal

  • 2022 – Momentum Moçambique, Galeria Manoeuvre, Portugal | Manimalia, Galeria Manoeuvre, Matosinhos, Portugal

  • 1999 – Outros Olhares, Fundação Júlio Resende, Porto, Portugal | Percursos de Arte, Benfica, Portugal | Grupo Banco Mello, Lisboa, Portugal

  • 1998 – Expo 98, Lisboa, Portugal

  • 1997 – Banco Mundial “Farewell”, Maputo, Moçambique | 2ª Exposição Anual Arte Feliz, Centro Franco-Moçambicano, Maputo, Moçambique | Apesar da Ruína, Centro Arte Feliz, Maputo, Moçambique | Durban Modern Art Gallery, Durban, África do Sul

  • 1996 – 1ª Exposição Anual Arte Feliz, Associação de Fotógrafos, Maputo, Moçambique | Mira-Mar, Maputo, Moçambique

  • 1995 – Tricontinental, Banco Mundial, Maputo, Moçambique | Ujamaa IV, Centro Cultural Franco-Moçambicano, Maputo, Moçambique | O Regresso, Centro de Estudos Brasileiros, Maputo, Moçambique

  • 1994/1995 – Arte para Além da Taprobana, Galeria Nacional de Arte Moderna, Rio de Janeiro, Brasil

  • 1994 – Delta Gallery, Harare, Zimbabué | 20º Aniversário do 25 de Abril, Embaixada Portuguesa, Maputo, Moçambique

  • 1993 – Bienal TDM, Museu Nacional de Arte, Maputo, Moçambique | Centro de Estudos Brasileiros, Maputo, Moçambique | 105º Aniversário da Cidade de Maputo, Câmara Municipal de Maputo, Moçambique

  • 1992 – Rotary Club, Maputo, Moçambique

  • 1991 – 1ª Exposição Anual, Museu Nacional de Arte, Maputo, Moçambique


PRÉMIOS e DISTINÇÕES

  • 1995 – Membro fundador da “Associação de Artistas Arte Feliz”, Maputo, Moçambique

  • 1993 – Membro da Associação de Artistas “Núcleo de Arte”, Maputo, Moçambique

  • 1987 – Prémio de “Melhor Composição” no concurso “Revelações’87”, como Músico Compositor, Violista e Cantor na Banda Musical 1983/1988

Vídeo

Ecossistema Artístico - Kheto Lualuali - Maputo, outubro 2021

Entrevista

MANOEUVRE - Galeria Matosinhos a 26 maio 2023
Camilo Lourenço entrevista Kheto Lualuali, na inauguração da sua Exposição "As Atmosferas: A Coletiva dos Dois Irmãos Gémeos"
7 maio 2023
Entrevista a Kheto Lualuali, no Spotlight do Artista - 5ª Bienal Internacional Arte Gaia

Voltar ao início

Kheto Lualuali
Muva I
Muva I

2005, Maputo

acrílico sobre tela 105 x 149,5 cm

manoeuvre.pt desenvolvido por Bondhabits. Agência de marketing digital e desenvolvimento de websites e desenvolvimento de apps mobile